Nova Friburgo definida como a primeira cidade do Brasil a ter construída uma barragem de detritos com tecnologia japonesa

Publicado em 6 junho de 2019
 
(http://twitter NULL.com/share)

.

Na última quarta-feira, 5, foi realizado um workshop sobre barragens contra fluxos de detritos, as chamadas barragens Sabo, na Prefeitura de Nova Friburgo. Técnicos japoneses e brasileiros, já conhecidos por trabalharem juntos no Projeto Gides, definiram a cidade como a primeira do Brasil a receber uma dessas barragens, na área situada por trás do Hospital São Lucas, no início da rodovia RJ-130, no bairro Duas Pedras. Nesta quinta-feira, 6, os participantes do workshop foram recebidos no gabinete pelo prefeito Renato Bravo, que agradeceu o empenho dos visitantes e manifestou o interesse em dar continuidade ao projeto.

.

No gabinete foi apresentado um vídeo sobre os desafios das estratégias de medidas contra desastres de movimento de massa, debatido na véspera. Participaram o presidente da Central de Tecnologias Sabo e Deslisamentos, Noryiuki Minami, acompanhado de outros técnicos japoneses, os secretários Jeferson Aragão, de Obras, e João Paulo Mori, de Defesa Civil; os subsecretários Alexandre Sanglard, de Meio Ambiente; Luiz Cláudio Gonçalves, de Obras; e Robson Teixeira, de Defesa Civil. Também esteve presente o engenheiro Wolney Wolff, da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional (Sedec/MDR).

Na reunião do gabinete, o prefeito Renato Bravo agradeceu a cooperação dos técnicos japoneses e falou do trabalho realizado desde o evento climático de janeiro de 2011, com destaque para as secretarias de Defesa Civil, Meio Ambiente e Obras. Ele aproveitou a ocasião para manifestar sua expectativa de continuar com essa parceria.

.

Nos dois encontros foi tratado o avanço do projeto de construção de uma barragem Sabo em Nova Friburgo, nas proximidades do Hospital São Lucas. Essa barragem será construída em parceria dos governos federal, estadual e municipal, junto com a cooperação do governo japonês, através da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica). A barragem vai garantir a segurança dos moradores daquela área, do hospital e da rodovia. Os recursos serão liberados pelo Governo Federal e a obra deve ser iniciada em um ano e meio a dois anos e deve durar cerca de um ano.