Pesquisadora internacional consulta acervo da Fundação Dom João VI, em Nova Friburgo, para estudo de doutorado

Publicado em 15 março de 2019
 
(http://twitter NULL.com/share)

Durante esta semana, os arquivos da Fundação D. João VI, em Nova Friburgo, foram alvo de um estudo internacional. A pesquisadora suíça Magda Kaspar, doutoranda em História pela Universidade de Berna, está no município a fim de reunir dados para sua tese que aborda as imigrações suíças para o Brasil. Sua proposta é estudar as colônias de Nova Friburgo, Helvetia (Indaiatuba/SP) e Dona Francisca (Joinville/SC), sob a perspectiva da identidade cultural e da invenção de tradições levantando a questão sobre o motivo para essas cidades conservarem os costumes suíços.

A pesquisa é desenvolvida em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e financiada pela Fundação Nacional de Ciências da Suíça, uma das mais importantes organizações da confederação. A ideia de trabalhar com movimentos migratórios veio da própria experiência de Magda, que possui origem tcheca. Apesar de falar as línguas francesa, alemã e inglesa, ela aprendeu o português especialmente para o desenvolvimento da pesquisa. Pela segunda vez no Brasil, Magda revelou que Nova Friburgo é muito parecida com a Suíça, não apenas pela aparência, mas também pelo tratamento atencioso das pessoas.

O presidente da Fundação Dom João VI, Luiz Fernando Folly, afirma que a pesquisa de Magda Kaspar coincidentemente se desenvolve durante as celebrações dos 200 anos da assinatura do decreto de criação de Nova Friburgo (2018) e da chegada dos colonos suíços (2019-2020), um momento propício para estimular os estudos sobre a história de nossa cidade, em suas mais diferentes vertentes.

“A Fundação D. João VI, depositária do Arquivo Pró-Memória, apoia tais iniciativas e disponibiliza a consulta de seus documentos para pesquisadores e demais interessados”.