Nova Friburgo realiza série de ações de prevenção a desastres ao longo do último ano

Publicado em 11 Janeiro de 2018
 
(http://twitter NULL.com/share)

Tragédia na Região Serrana completa sete anos nesta quarta, 11

Uma catástrofe de proporções imensuráveis. Há exatos sete anos, uma enxurrada deixa um rastro de destruição jamais visto, até então, na Região Serrana. Nova Friburgo foi uma das cidades que mais sofreu com os resultados da maior tragédia climática da história do país. Deslizamentos de terra de enorme magnitude fizeram mais de 900 vítimas e deixaram centenas de pessoas desabrigadas, marcando de forma dramática a história do município, que atualmente vem realizando uma série de importantes ações de prevenção e atuação na ocorrência de desastres.

.

.

 

Para o prefeito Renato Bravo, a data representa um simbolismo muito forte para a cidade e é uma marca da superação do povo friburguense. Ele ainda destaca que a Municipalidade se esmera em fazer o melhor trabalho possível no sentido de prevenir uma nova tragédia como essa e garantir, sobretudo, a integridade física das pessoas.

“Uma forma eficiente que temos hoje de trabalho preventivo é o sistema de alerta das sirenes instaladas nas áreas de risco. São 40 sirenes espalhadas nas localidades: Jardim Ouro Preto, Vilage, Cordoeira, Tingly, Rui Sanglard, Chácara do Paraíso, Catarcione, Jardinlândia, Jardim Califórnia, Tauru, Olaria (Barroso), Córrego D’antas, Prainha, Campo do Coelho, Granja Spinelly, Floresta/Três Irmãos, São Geraldo, Santa Bernadete, Duas Pedras, Riograndina/Maringá. Em casos de emergência, as sirenes são acionadas e os moradores são encaminhados para um dos 83 pontos de apoio”, destacou.

Ao longo do último ano, a Defesa Civil tem trabalhado de forma incansável. A exemplo disto está a conclusão do Projeto GIDES – Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão integrada em Desastres Naturais, dentro do Convênio realizado entre Brasil e Japão que, entre outras coisas, levou técnicos do município a participarem de cursos no Japão e teve como principal fruto, a elaboração de um Manual de Defesa Civil, que servirá de balizamento para todos os municípios do Brasil.

Além da participação nesse projeto, vale também destacar outras ações de significativa relevância que foram realizadas no período. Entre elas a aquisição de duas sirenes móveis, doadas pelo INEA; criação da sala de monitoramento meteorológico; aquisição de uma estação robotizada para monitoramento de deslizamento de taludes; realização de aproximadamente mil vistorias em imóveis, taludes e em centenas de árvores com risco iminente de queda; participação nos exercícios simulados de ações em desastres naturais realizados em conjunto com as Forças Armadas do Brasil e inclusive a previsão de aquisição de um radar meteorológico, que fará de Nova Friburgo, uma das poucas cidades no Brasil a possuir este instrumento de alto grau de sofisticação.

O município ainda está em contato permanente com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Obras, devido a alguns projetos que foram apresentados pelo órgão no sentido de realizar ações de grande proporção para contenções de encostas. Faz parte dos projetos contemplar bairros como Ruy Sanglard, Lazaredo, Vila Nova, Parque das Flores, entre outros. Contudo, por se tratar de obras muito onerosas, a Municipalidade não possui recurso suficiente para custeá-las e depende da contrapartida do ente estadual para tal e sendo assim, não mede esforços em realizar constantes solicitações para que isso seja realizado o mais breve possível.