Implantação da Central de Regulação supera em apenas um mês números alcançados durante todo o ano de 2016 pelo governo passado

Publicado em 20 abril de 2017
 
(http://twitter NULL.com/share)

Diversos problemas foram sanados e em pouquíssimo tempo a gestão Renato Bravo já apresenta dados bastante significativos e animadores sobre a saúde pública de Nova Friburgo

Captura de Tela 2017-04-20 às 15.53.23

 

Implantada em Nova Friburgo no último dia 15 de março, portanto há pouco mais de um mês, a Central de Regulação, através do sistema Sisreg, já apresenta números extremamente positivos, que evidenciam o acerto da Secretaria Municipal de Saúde ao descentralizar a marcação de consultas e exames, dando mais conforto aos pacientes e agilizando o processo de marcação e realização dos procedimentos.

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Comitê de Gestão, identificou inúmeras falhas que impediam o pleno funcionamento da Central de Regulação no município, problemas já sanados pela atual gestão e que, em pouquíssimo tempo, revela dados bastante significativos e animadores sobre a gestão Renato Bravo na saúde pública de Nova Friburgo.

Entre os diversos problemas encontrados pela atual gestão, a existência de 4.327 pedidos de exames de imagem parados no setor de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) para agendamento, a ausência de controle de liberação de exames realizados por meio de carimbos, o agendamento de consultas via sistema Sisreg e no balcão das unidades de saúde sem nenhuma regulação, além da falta de definição de responsabilidades individuais para os funcionários da equipe de regulação.

Passado esse período de apuração e levantamento de dados, a atual gestão pôde, enfim, colocar em prática o que havia sido programado para a cidade. Apenas no setor de TFD, que de outubro de 2016 a fevereiro de 2017 realizava o transporte de 1.400 pacientes em média por mês, em março este número saltou para 2.191 e, até 17 de abril, já registrava 1.740 pacientes transportados pelo setor, números bem acima da média apresentada pelo governo passado.

Outros números que chamam a atenção referem-se ao comparativo entre todo o ano de 2016 e 2017 (até o dia 17 de abril). No ano passado apareciam no Sistema de Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (SCNES), 3.616 estabelecimentos de saúde do município, contra 4.998 cadastrados pela atual gestão até 17 de abril. Se antes não havia nenhuma informação sobre os operadores do sistema Sisreg, agora já são 239 cadastrados pela Secretaria Municipal de Saúde.

Sisreg amplia número de vagas: de 2.179 do ano passado para 14.140 vagas no Governo Renato Bravo

Um número que cresceu vertiginosamente é o de vagas programadas por mês no sistema Sisreg. Enquanto em 2016 eram apenas 2.179, até 17 de abril deste ano a Secretaria Municipal de Saúde já conseguiu liberar 14.140 vagas, quase seis vezes mais que o número alcançado pelo governo passado, em apenas três meses e meio de gestão do Governo Renato Bravo. E, se até o ano passado não se tinha informação sobre o número de pessoas que aguardavam o agendamento de exames, consultas e procedimentos, o Comitê de Gestão da Saúde já identificou 3.659 pacientes nessa situação, e a Secretaria Municipal de Saúde já está providenciando o contato com os usuários para a marcação e realização dos exames. Neste mesmo período, de 15 de março a 17 de abril, foram autorizados 22.675 exames, quase sete vezes mais que o autorizado pelo governo passado no mesmo período de 2016.